De Fotógrafa a VideoMaker

Uma das formas para se atualizar das novidades de qualquer assunto, profissional ou por hobby, é a participação em eventos, feiras, palestras… Acredito que todas as noivas já tenham participado de eventos como a Expo Noivas, a CASAR, enfim, ou outras tantas feiras voltadas para o ramo de casamentos, principalmente como fonte de inspiração sobre que fazer no grande dia.

Comigo não é diferente, e nessa última semana estive presente na PhotoImage Brazil 2012, no Expo Center Norte, com as novidades em fotografia e vídeo, inclusive com apresentações específicas para quem atua no ramo de eventos sociais.

* Workshop com o pessoal da Foco Estúdio 

Resumindo as novidades na área que interessam aos noivos

No geral, não senti grandes novidades em tipos de álbuns, papéis, além do que já oferecemos na produtora. Existem serviços mais personalizados, quase artesanais, no quesito acabamento; por exemplo, as capas com tecidos (às vezes até a renda do vestido da noiva é utilizada) mas que encarecem muito o produto final, o que deixa esse serviço menos acessível.

Porém algo que há muitos anos vem sendo reforçado na fotografia e agora com uma ênfase forte chega ao mercado de vídeo é o estilo de captar as imagens.  Não me refiro apenas à foto ou vídeo jornalismo, mas sim a profundidade de campo, enquadramento e edição. E essa discussão vem ganhando força com a popularização do uso de câmeras fotográficas para a filmagem do evento. 

Como já dito em outras edições do evento, o diferencial em si não chega a ser a qualidade das imagens (em HD) mas as possibildiades de criar. Porém é sempre bom lembrar, usar câmeras fotográficas para filmar é uma escolha que a produtora faz exclusivamente por uma questão econômica. A compra das lentes que possibilitam imagens diferenciadas são infinitamente mais baratas para câmeras fotográficas do que para filmadoras. Continuo com a opinião de que fazer a captação de imagens, principalmente de um evento dinâmico como um casamento, exclusivamente por máquinas fotográficas, como já expliquei nesse outro post, pode ser um risco.

Mas esse ano a discussão mesmo rondou no assunto “estilo”. Numa das apresentações que assisti no estande da Canon, Daniel Torraca (profissional da área de casamentos) comentou sobre a necessidade cada vez maior de um fotógrafo ser cinegrafista, e o cinegrafista pensar como um fotógrafo. De fato é um diferencial, até mesmo para o vídeo e o álbum do casamento estarem em perfeita sintonia.

Por isso tenho receio quando noivos querem misturar equipes e fechar contratos separados de foto e vídeo. O posicionamento, as diferenças de estilo de cada um podem atrapalhar a execução do trabalho. Afinal cada empresa tem o seu DNA. E por mais que a força do mercado direcione para um caminho, todos têm liberdade de criar o seu próprio perfil.

Cedendo a essa força, resolvi, além de fotografar (rs…), filmar com minha Canon EOS 7D uma das e-sessions que a Canon promoveu na feira durante a apresentação do Daniel. O vídeo está no fim deste post. Não tem a pretensão de ser um vídeo profissional, afinal essa foi uma primeira experiência como cinegrafista. Editei as imagens, mas sem alterar cor, luminosidade e principalmente RUÍDO. Apesar de o próprio Daniel defender que podemos usar ISO’s altos tranqüilamente, fiz variações que foram de 640 a 4000, e não fiquei muito contente com a granulação da imagem.

Eu ainda não sei todos os truques de filmagem, mas espero que vocês curtam 😉

Ah! esqueci de comentar sobre a GoPro, câmera micro e versátil, que filma em HD com uma série de acessórios que a deixam super resistente pra filmar debaixo d’água, prendê-la do lado de fora do carro da noiva e possibilita infinitas imagens incriveis.

Anúncios